Desculpe-nos...

Este blog foi encerrado em agosto de 2010...

terça-feira, 3 de agosto de 2010

BOA SORTE SOR!!!


Boa sorte soorr!! Tu é d+! Obrigada por tudo, agnt vai ta sempre ctg!!

domingo, 1 de agosto de 2010

A menina que calou o mundo por 5 min.

Incrível, a sabedoria de alguem, com 13 anos de idade, que é capaz de mostrar a realidade de forma tão verdadeira.

http://www.youtube.com/watch?v=kJzTZvAJf3c
Ps.: O video foi feito na Conferencia das Nações Unidas sobre Ambiente e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro dos dias 3 à 14 de junho de 1992. (The Earth Summit)
ASSISTAM!!!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Jornalista fala a real sobre os bancos e perde seu lugar na TV Cultura!
Mais uma vez paramos para pensar, será que podemos acreditar no que os programas jornalísticos nos falam?

Pelo menos, podemos reclamar o quanto quisermos... pois para mudar esse governo vai demorar por que primeiro temos que mudar o pensamento da sociedade brasileira que no meu ponto de vista faz muito pouco caso de se tornar um cidadão de verdade e em segundo e talvez nem tão difícil, ir contra o governo e fazer a justiça com as nossas próprias mãos ( não falo de matar nem nada viu gente!). Todo muito aceita o que acontece hoje em dia no nosso país e a nossa "liberdade" só vai vir quando houver uma negação!

http://www.youtube.com/watch?v=1_TsY4AOenY

ASSISTEM!!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Fazendo o ultimo trabalho, lembrei de um desenho animado que asssistia quando criança, que fala sobre a origem das coisas, no caso o plástico. Achei interessante posta-lo, já que aborda o assunto dee forma 'completa' e didática, com fácil entendimento.

http://www.youtube.com/watch?v=UJf5Stou3tY

'De onde vem?' - O plástico

Além deste, que fala sobre a fabricação do plástico desde o petróleo, há outro que explica como é feita a reciclagem de garrafas pet.

http://www.youtube.com/watch?v=7rLK9kVqoGE&feature=player_embedded

quarta-feira, 30 de junho de 2010

As 10 Nações mais "Superpovoadas"?

Hoje uma amiga minha me mandou um link da Terra onde tinha uma reportagem com o nome de " As 10 NAÇÕES MAIS "FALIDAS" DO MUNDO", que poderia-mos dizer também em uma linguagem mais geográfica, '' As 10 nações mais SUPERPOVOADAS do mundo". Onde a maioria delas sofrem de fome aguda por não terem recursos políticos e financeiros para alimentar seus habitantes.
Não sei se poderiam ser citadas como superpovoadas todas as 10, pelo fato de algumas possuírem grandes riquezas naturais que se fossem bem utilizadas poderiam mudar a situação política, econômica e até social desses países.

Em primeiro lugar esta a Somália, que registrou mais um ano de caos e ausência de leis, onde piratas ocupam a costa do país e militares islâmicos as ruas da capital, Mogadísco.

Em segundo lugar temos Chade, que entre os seus principais problemas está um conflito de tribos que fez com que 200 mil pessoas deixassem suas casas e que o governo do presidente Idriss Déby tem aumentando os índices de miséria no país.

O terceiro lugar é ocupado pelo Sudão, que vive as voltas de uma das piores crises humanitárias da atualidade onde o sangrento conflito se localiza na região de Darfur. Segundo o FP ( revista Forlign Policy), este ano será decisivo para o país à medida que o Sul do Sudão, onde se concentram as maiores fontes de petróleo da nação, realizará referendo em janeiro de 2011 para decidir se continuará uma região autônoma ou proclamará sua independência.

Em quarto lugar esta Zimbábue onde a vida melhorou consideravelmente após o presente Robert Mugabe, que governa desde 1980, aceitar dividir o poder com o opositor Morgan Tsvangirai que é o atual primeiro ministro.

República Democrática do Congo ocupa o quinto lugar, que apesar de possuir uma das mais abundantes reservas minerais do mundo, sofre historicamente com exploração de suas riquezas, que iniciou com os belgas e hoje segue disputa pelo Exercito de grupos rebeldes.

O primeiro país não africano é o Afeganistão que ocupa o sexto lugar onde o governo do presidente Hamid Karzai, reeleito em agosto de 2009 com suspeitas de fraude, tem prejudicado os esforços de Otan no combate ao Talibã e que dificilmente conseguirá ser cumprida a metade de retirada das tropas internacionais do país no meio do ano que vem.

Após o Afeganistão, o próximo país ocupado por tropas internacionais que está em sétimo lugar é o Iraque, onde 2 milhões de pessoas deixaram o país devido aos conflitos que sucederam a queda de Saddam Hussein e muitos ainda não retornaram.

Em oitavo lugar temos a República Centro Africana, onde a violência no país deveria ter diminuído após os acordos de paz assinados entre rebeldes e o governo em 2007 e 2008. Mesmo assim o país sofre com conflitos e atualmente estaria abrigando o violento grupo de rebeldes africanos Lord's Resistance Army, que foi expulso de Uganda.

A nona posição é de Guiné, um pequeno país no oeste da África, onde um conflito pelo poder tomou conta do país após a morte do então presidente em dezembro de 2008, que foi sucedida por um golpe comandado por soldados renegados que nomearam Moussa Dadis Camara como novo governador. Em setembro de 2009, militares massacraram 150 opositores em um estádio.

E em último lugar está o Paquistão que é considerado por alguns como o país mais perigoso do mundo. Sua região norte abriga insurgentes do Talibã paquistanês e, provavelmente, da Al-Qaeda, enquanto outros grupos militares atuam em áreas urbanas. Mais de 3 milhões de pessoas ficaram desabrigadas devido a operações de contra-insurgência em 2009.

Durante o nosso dia a dia, não pensamos nos problemas sociais que vivem uma grande parcela da humanidade e quando nos deparamos com alguns dos milhares de problemas que essas nações a cima passam e ainda vão passar por muito tempo, paramos pelo menos por alguns minutos e refletimos ( pelo menos isso aconteceu comigo), como nossos problemas são pequenos e insignificantes perto dos problemas e sacrifícios que essas pessoas sofrem TODOS OS DIAS. E mais uma vez após esses poucos minutos, voltamos a nossa vida normal com os nossos probleminhas normais, por que todos tem problemas a diferença é que alguns sabem lidar e outros só pioram, que na maioria das vezes nem são tão difíceis de concertar basta apenas um olhar diferente e força de vontade para mudar algumas coisas que para nós são "AS PIORES COISAS DO MUNDO".
É engraçado ouvir as pessoas falarem que são infelizes por que tem problemas com os pais, com o irmão, com a namoradinha, com o namoradinho, que é magro demais ou gordo demais...e acharem o fim do mundo por causa dessas coisas que querendo ou não SÃO NORMAIS na vida de qualquer pessoa. Enquanto isso outras milhões de pessoas passam fome, não tem onde morar, o que vestir e , o pior de tudo, não terem como mudar isso sozinhas por que dependem de muitas outras e situações para mudar a sua realidade.
Se as pessoas fossem menos egoístas e tivessem uma REAL consciência dos problemas do mundo e de milhões de pessoas, nações praticamente inteiras e etc... talvez assim elas conseguiriam levantar com um sorriso no rosto e agradecer por terem acordado numa cama, dentro de uma casa, com mantimentos, roupas e tudo mais... e enfrentarem o dia a dia, sem o pessimismo e saber que a maioria de seus problemas podem ser solucionados e que não precisamos sofrer constantemente por pequenas coisas que podem SIM mudar e , com certeza, mudam a nossa vida para melhor e conseqüentemente a nossa situação como cidadãos brasileiros!


Sooor *-* eu gostaria de saber qual seria o melhor termo para essas nações, pelo fato de algumas delas terem reservas naturais muito preciosas! Obriigada desde já~

terça-feira, 15 de junho de 2010

Geografia da Copa do Mundo!

Caro estudantes,


Kofi Annan (presidente do Painel para o Progresso da África e ex-secretário-geral da ONU) e Didier Drogba (atacante da Costa do Marfim e embaixador da Boa Vontade do PNUD) lançaram uma análise estatística e socioeconômica dos países africanos e seus adversários na Copa do Mundo. Vale conferir...

Então, leiam a reportagem abaixo e confiram os links ao final:


A primeira Copa do Mundo realizada na África traz um número recorde de seleções do continente: além das cinco vagas destinadas às nações da região desde 1998, há a reservada para a sede, África do Sul. Por isso, aumentam as expectativas de que esses países, em maior número e jogando em casa ou perto de casa, obtenham o melhor resultado do continente na história dos Mundiais. Dos 18 campeonatos anteriores, os africanos estiveram presentes em 11, e chagaram no máximo até as quartas de final (Camarões, em 1990, e Senegal, em 2002).

É nesse desafio que estarão de olho torcedores de várias partes do mundo a partir desta sexta-feira, em especial os africanos, sobretudo os das seleções que participam da Copa (Argélia, Camarões, Costa do Marfim, Gana e Nigéria, além da África do Sul).

O continente, no entanto, enfrenta outros desafios, ainda mais difíceis e ainda mais importantes. É sobre esses que se debruça um guia alternativo para a Copa, chamado Scoring for Africa (“marcando gols para a África”, em tradução livre), lançado nesta semana por Kofi Annan, presidente do Painel para o Progresso da África e ex-secretário-geral da ONU, e por Didier Drogba, atacante da Costa do Marfim e embaixador da Boa Vontade do PNUD.

O guia analisa as estatísticas sociais e econômicas — e também de futebol — dos países envolvidos nos 12 jogos da primeira fase em que há alguma seleção africana. Assim, ao lado da posição dos países no ranking da Fifa, há a colocação em outras listas, como a do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), da percepção de corrupção, do desempenho ambiental e da competitividade. As tabelas dos jogos também trazem números do PIB (Produto Interno Bruto), da emissão de gás carbônico e da expectativa de vida, entre outros. Além disso, é feita uma avaliação dos pontos positivos (os “chutes a gol”) e negativos (“chutes para fora”) na relação entre as duas nações envolvidas em cada jogo, e uma lista de “faltas” cometidas pelos dois lados. O guia traz ainda um “plano de jogo”, com sugestões do que pode ser feito para que a parceria entre os países possa aprimorar o desenvolvimento.

Brasil contra Costa do Marfim
Na única partida entre o Brasil e um país africano na primeira fase (contra Costa do Marfim, em 20 de junho), a tabela mostra que os brasileiros ficam em primeiro lugar no ranking da Fifa, mas em 75º no IDH. O país africano é o 27º no futebol e o 163º no índice criado pelo PNUD. Entre os “chutes a gol” estão a ajuda humanitária brasileira a nações do continente (incluindo Costa do Marfim), a expansão do comércio exterior entre o Brasil e a África e a participação de militares brasileiros da Missão das Nações Unidas para a Costa do Marfim.

Nos “chutes para fora”, o guia afirma que “o Brasil pode fazer mais para compartilhar sua experiência única de desenvolvimento com países como a Costa do Marfim, particularmente nas áreas de transferência de renda, segurança alimentar, educação rural e industrialização”. A publicação aponta ainda que a nação africana está longe de alcançar a maioria dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e que o Brasil, embora tenha avançado muito, pode não cumprir algumas metas.

Entre as “faltas”, o guia aponta que o governo provisório marfinense postergou várias vezes a realização de eleições, que nos dois países o combate ao comércio ilegal de joias é fraco e que ambos “não têm sido capazes de deter as altas taxas de desmatamento”.

Jogo injusto
Na apresentação, Kofi Annan e Didier Drogba fazem uma cobrança enfática aos países ricos. “O fato é que muitos países africanos e em desenvolvimento ainda estão em grande desvantagem. Eles não têm permissão de competir internacionalmente em um campo nivelado, com um árbitro imparcial e uma série de regras e normas claras e aceitas. Longe disso; de fato, eles têm sido pesadamente penalizados. O que seria um escândalo no mundo do futebol é ainda algo comum na sociedade das nações”, escrevem os dois.

Eles criticam, por exemplo, que os países pobres não têm responsabilidade nas mudanças climáticas, mas são os que mais sofrem com elas. Reclamam também das regras em áreas como mercado exterior, tecnologia, recursos financeiros, migração e direito autoral, que “tornam ainda mais difícil” a tarefa de promover o desenvolvimento.

“Jogadores e torcedores, sejam de Midrand, Manila, Manchester ou Montevidéu,entendem a importância do jogo justo e de um árbitro imparcial. Nós acreditamos intensamente que esse entendimento não deveria se limitar ao modo como os países jogam, correm e marcam gols uns contra os outros, mas também ao modo como eles fazem negócios e política uns com os outros; que o espírito da Copa do Mundo deveria ser estendido às relações econômicas e políticas entre os países; que a celebração de nossa humanidade comum não deveria se limitar a um mês a cada quatro anos”, afirmam Annan e Drogba.

(Fonte: Disponível em: <PNUD Brasil>. Acesso em: 15 jun. 2010)


segunda-feira, 14 de junho de 2010

Línguas no Brasil!

Estimados estudantes,

como no 2º ano nosso estudo é calcado na Geografia Humana e, como a língua é uma característica própria do homem, deixo-vos uma reportagem publicada recentemente na Revista da Cultura da Livraria Cultura, intitulada “Nação Poliglota”. Nela, o jovem Rafael Munduruca fala sobre o mosaico multicolorido das línguas faladas no Brasil:


Boa leitura!!!

Para saber +:
 
- UNESCO apresenta nova edição de atlas de línguas em perigo
 
- Brasil é 3º país em número de línguas em risco de extinção

terça-feira, 8 de junho de 2010

Meu Blog

Blog pronto :D
quem quiser da uma olhada vai aqui o endereço, infelizmente ainda não descobri como habilita comentários... Mas vo tentando :p

www.aroundmymind.tumblr.com


Tem só dois posts mas com o tempo vo ponto mais... ;D

domingo, 6 de junho de 2010

Música, mais um milagre que o homem controla

Na reportagem Paul McCartney (cantor, compositor, músico de diversos instrumentos, participante dos Beatles) recebe o maior prêmio para músicos populares dos Estados Unidos da América.
Na verdade o meu comentário não tem muita conexão com o sentido da matéria, mas não fui capaz de achar nenhuma matéria acerca do assunto. Enfim, gostaria de comentar sobre o mercado musical.
Hoje em dia, com a internet, televisão, jornais e a globalização em geral, tomamos conhecimento sobre tudo de todo o lugar. Inclusive da música. Somos capazes de ouvir músicos de todo o mundo tocando em todos os lugares diferentes do mundo - e por sinal, QUE MÚSICOS. Diante de muita qualidade de música (claro que excluindo todos aqueles desprovidos de habilidades e criatividade) e variedade uma coisa me intriga. Porque o mercado norte americano domina o mundo? Claro que é por eles serem a maior potência e terem grande domínio do Marketing (palavra de origem americana aderida ao português pelo meu Word) mundial... Mas isso não quer dizer que o mundo não tem o direito de conhecer outras bandas, ritmos, culturas e formas de arte. Nem todos tem acesso ao computador para explorar à vontade a liberdade (que nem é tão livre) de conhecimento. As rádios não despõem de tamanho repertório. Você pode ir à Porto Alegre, á Nova York, à Londres, à Tóquio ou seja lá onde for que as pessoas conheceram Black Eyed Peas e cantarão para você "I got a feeling". Mas será difícil achar alguém que conheça Chico Buarque ou Sungha Jung. Sabe, posso estar viajando mas a minha impressão é que se você souber cantar em inglês e tiver um pouco de sotaque a sua chance de sucesso triplica. A harmonia e a melodia não contam mais? Porque uma banda brasileira (descente, claro) tem de ter tanta dificuldade de ganhar conhecimento mundial quando uma banda inglesa de quintal é reconhecida no mundo todo? Porque eu quando componho procuro compor em inglês, e aliás não só eu como muita gente (lembrem que Tiago Iorc é BRASILEIRO). Engraçado o rumo que as coisas tomam não? Tomamos em nossas mãos o conhecimento e insistimos em usar e sintetizar o que ha de melhor no mundo para nossa vontade e não mais para seus propósitos naturais.

reportagem:
http://noticias.br.msn.com/video/videos-da-semana.aspx?page=8

Estados Unidos vive pior desastre ambiental, a Maré Negra

O vazamento de petróleo no golgo do México está sendo considerado o pior desastre ambiental já vivido pelos Estados Unidos. Uma vez que, até agora, as providências tomadas não estão obtendo sucesso, como a operação "top kill", imposta pela British Petroleum (BP), onde foi injetado fluidos pesados, como lama, para fechar o poço de vazamento. Com esse fracasso, cerca de 12 a 19 mil barris de óleo continuam derramando a cada dia.

Agora, esta companhia planeja utilizar robôs submarinos para tirar a peça danificada e instalar uma valvula de contenção, o que levaria de quatro a sete dias. Porém, a assessoa para meio ambiente e energia declarou que esta providência pode ou não dar certo, e que se o pior ocorrer, o vazamento pode ocorrer até agosto deste ano. Além disso, este desastre está afetando tanto o meio ambiente, como a economia, ou seja, pode afetar a indústria mundial de petróleo e gás. O problema então, não se agravaria apenas nos EUA, mas em todo o mundo.
















Como já estudamos, o vazamento de petróleo pode vir a causar muitos outros desastres naturais. Por ser de alto nível de poluição para o meio em que está sendo derramado, pode provocar alterações ambientais e prejudicar a biodiversidade que ali se encontra. Em muitos outros casos de derramamento de petróleo, vimos que os animais são os mais afetados, ou seja, eles sofrem com a destruição de seu habitat e muitos morrem por intoxicação. As aves da reagião já estão sendo gravemente afetadas, sendo cobertas por óleo.
















Eu entendo que as empresas petrolíferas e outras empresas que buscam extrair recursos naturais, juntamente com o governo, devem, antes de tudo, criar meios tecnológicos que possam prever a ocorrência de possíveis desastres, para combatê-los facilmente. Este acontecimento está pondo em risco a extração de petróleo em grandes profundidades, inclusive no Pré-sal, aqui no Brasil. Aliás, já imaginaram se um problema desse ocorresse em nosso país? Nossa companhia de extração de petróleo tem aproximadamente 50 bilhões de barris de petróleo presos a uma camada de sal a 7 mil metros de profundidade. Isso consequentemente levaria a desastres muito mais graves do que o que está acontecendo nos Estados Unidos, e as medidas a serem tomadas seriam muito mais rigorosas.

O que mais me surpreende é que quando escolhi esta reportagem, pude ter a conciência ecológica que muitas pessoas ainda não têm. O planeta está sofrendo grandes mudanças, com relação ao que o homem está criando. Muitas pessoas ao olharem uma reportagem como esta pensam: "Nossa, que bom que não é aqui. Que pena para eles." A sociedade está cada vez mais individualista, mas uma vez que este problema gere novos acontecimentos, quem irá sentir o impacto ambiental não é determinada região, mas é o mundo inteiro. Não deixo de me perguntar: E as pessoas que dependem daquela fonte de energia? E os animais que estão morrendo? Devemos pensar e nos concientizar de que "lá", não é mais tão distante "daqui", e que o mundo precisa viver em união e em sintonia, para conseguirmos superar mais um problema ecológico, geológico, economico e, de certa forma, sociológico.

sábado, 5 de junho de 2010

Ciclone Phet deixa 8 mortos na passagem por Omã e segue para Índia

A tempestade tropical criada pelo ciclone Phet deixou oito mortos e quatro desaparecidos na passagem por Omã. Os efeitos do Phet começaram a ser sentidos quinta-feira na região, indicou neste sábado (5) a comissão nacional de defesa civil.
Segundo o presidente da comissão, Malik Bin Suleiman, entre os oito mortos está um membro da defesa civil que perdeu a vida quando participava das operações de resgate.
Cientistas revisaram para cima sobre Atlântico nos próximos 6 meses(Foto: Soichi Noguchi / ISS - 25-05-2010)
A polícia faz buscas com a ajuda de aviões as áreas inundadas e o leito dos rios em busca dos quatro desaparecidos.
Suleiman indicou que o estado de "alerta laranja" (há um superior, o vermelho, e outro inferior, o amarelo) continuará até que a situação volte à normalidade, que as estradas sejam reabertas e o abastecimento de energia e de água seja restabelecido.
As autoridades de Omã declararam feriado para manter a população em casa, enquanto os efeitos da tempestade tropical continuam.
A tempestade, que reduziu sua força do grau 4 para 2 quando chegou a Omã, afetou principalmente o centro e o leste do país.
Agora, o ciclone Phet avança na direção norte-nordeste rumo ao Paquistão e à Índia.

Na minha opinião as pessoas deveriam se conscientizar mais, porque as pessoas estão destruindo o mundo, e ele agora esta revidando tudo o que as pessoas fizeram para destruí-lo, mandando tornados e terremotos que acabam destruindo tudo o que vê pela frente.
As pessoas estão destruindo o mundo com a poluição jogando lixo no chão com carros extremamente poluentes, com as usinas jogando produtos tóxicos no meio ambiente, fazendo com que polua a água, o ar, o solo e com isso a terra acaba mandando furacões, tornados enchentes , tsunamis, tempestades ,tremores e etc. Como defesa , igual ao que o corpo humano faz quando esta gripado eles são seus “anti-corpos”.
E se as pessoas não se conscientizarem a situação vai piorar cada vez mais.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Para repensar...

http://www.youtube.com/watch?v=80nL4KdamEw&feature=related

crianças veem, crianças fazem.

terça-feira, 1 de junho de 2010

meu blog

Em breve trarei o link do meu blog...
Esta em manutenção no momento
Aguardem :)

domingo, 30 de maio de 2010

Empresa anuncia novo plano para combater a maré negra nos EUA


No dia 30 de maio, o jornal zero hora, lançou em seu site uma noticia revelava uma nova saída para o ‘acidente ambiental’ no golfo do México. No dia 20 de abril ocorreu uma explosão na plataforma petrolífera Deepwater Horizon da BP. Matando 11 pessoas, desde o acidente já foram despejados 80 milhões de litros de petróleo no mar. A catástrofe, talvez maior catástrofe petrolífera da historia. A primeira tentativa de recuperação e ‘estancamento’ do vazamento não deu certo, agora é lançado um novo plano onde, um novo poço de auxilio na remoção do petróleo derramado já esta sendo construído, porém que levara mais de 2 meses para ficar pronto. No momento as ‘equipes de resgate’ concentram-se na remoção dos dutos danificado, que estão no fundo do mar. Os efeitos do petróleo no ambiente já conhecidos podem causar e estão causando um impacto ambiental gigante no planeta. Justamente em um momento, em que as preocupações com o ambiente estão em seu auge, e novas tecnologias tentam cada vez mais preservá-lo.

O derramamento de petróleo no oceano acontece causando revolta e preocupações não só de ambientalistas, mas também da população não só americana, mas mundial. Além de danificar fortemente o ecossistema da região, a economia foi afetada diretamente.


Para maiores esclarecimento, a baixo é citada parte de uma reportagem retirada do site biodieselbr, publicada no dia 11 de novembro de 2005.






“[...] Já os impactos produzidos pelo derramamento de óleo na água são mais visíveis. Especialistas em poluição enfatizam que os acidentes deixam marcas por vinte anos ou mais e que a recuperação é sempre muito longa e difícil, mesmo com ajuda humana. O contato com o petróleo cru causa efeitos gravíssimos principalmente em plantas e animais. O óleo recobre as penas e o pelo dos animais, sufoca os peixes, mata o plâncton e os pequenos crustáceos, algas e plantas na orla marítima. Nos mangues, o petróleo mata as plantas ao recobrir suas raízes, impedindo sua nutrição. Além disso, a baixa velocidade das águas e o emaranhado vegetal nesses locais dificulta a limpeza. O petróleo, embora seja um produto natural, originário da transformação de materiais orgânicos, existe apenas em grandes profundidades, entrando muito pouco em contato com o ambiente terrestre, fluvial ou marítimo. É insolúvel em água e tem uma mistura corrosiva venenosa com efeitos difíceis de combater.



A região da costa do Alasca, por exemplo, continua a apresentar até hoje problemas resultantes dos resíduos do óleo derramado pelo petroleiro Exxon Valdez, mesmo após 15 anos do acidente. Em 1989, o navio liberou 42 milhões de litros de óleo no mar contaminando uma extensão de 1900 quilômetros. Técnicos do Greenpeace acreditam que a recuperação da área ainda está longe de ser alcançada. A empresa Exxon, que comercializa produtos da marca Esso, foi multada em US$ 5 bilhões pelos danos ambientais causados, mas entrou na justiça recorrerendo da decisão.”

Pelo menos 46 pessoas morrem após passagem de tempestade pela América Central Na Guatemala, mais de 74 mil pessoas foram evacuadas



O Jornal da Zero Hora publicou ( 30/05/2010), o desastre que aconteceu na América Central que pelo menos 46 mortos e milhares de atingidos é o registro preliminar da passagem da tempestade tropical Agatha, a primeira desta temporada na América Central, que se transformou em um sistema de baixa pressão neste domingo, informaram as autoridades.
Na Guatemala, 40 pessoas morreram e outras 74.477 foram evacuadas. Milhares de casas foram danificados por inundações e deslizamentos de terra, informou o presidente Alvaro Colom, que ordenou a suspensão das aulas em todo o país a partir de segunda-feira.
Nas últimas horas, as equipes de socorro confirmaram o resgate de pelo menos 27 corpos em diferentes pontos do país, enquanto cerca de 30 pessoas foram reportadas como desaparecidas.
Em El Salvador foram confirmadas seis mortes em consequência do fenômeno climático. Agatha se transformou neste domingo em um sistema de baixa pressão e "continua se enfraquecendo gradualmente em território nacional", indicou a Coordenadoria para a Redução de Desastres (Conred).
O relatório da Conred indica que, no total, as chuvas de sábado alcançaram os 168 milímetros, mas as mais fortes foram registradas em Ciudad Pedro de Alvarado, na fronteira com El Salvador (leste), onde chegaram a 430 milímetros. Colom indicou que aeronaves americanas da base militar de Palmerola (Honduras) ajudarão na assistência aos desabrigados.


Na minha opinião já basta o que mostrou no Haiti, no Chile, as pessoas e o próprio governo não tomam a consciência de que elas se prejudicam a elas mesmo, quantos grupos estão mostrando que querem diminuir esses acontecimentos climáticos, começando por coisas simples e fáceis que podemos fazer na nossa casa, pode ser clichê o que eu estou escrevendo e todo mundo esta cansado de saber disso, mas as pessoas têm que levar choques como esse que aconteceu na Guatemala e o no resto do mundo para verem que a isso ta piorando e vai piora cada vez mais. Claro que ajuda e solidariedade têm que estar juntas, quantas pessoas agora precisam de nós de alguma maneira, mas o governo tem que fazer a sua parte também, tiras essas pessoas que não devem ter condições financeiras para comprar uma casa longe dos morros, para que também pessoas que moram perto e no morro não acabam morrendo. Vejo vários projetos que conscientizam pessoas a fazer coisas simples que ajudam nosso planeta. Cada idéia vale a pena, mas que o verbo agir esteja presente e todos devemos ter também, cada um tem que fazer sua parte tem que falar para pessoas próximas, amigos, familiares, que também ajude é o nosso lar é onde moramos, se um pode ajudar, magina 1.000 pessoas ou mais ajudando.


quarta-feira, 26 de maio de 2010

Pesquisadores do RJ apresentam ônibus que não polui o meio ambiente

Nesta terça-feira (25/05/2010) o Jornal Nacional apresentou uma reportagem sobre uma nova tecnologia, 100% brasileira, que trata de um ônibus que não polui o meio ambiente.
Ele é carregado com eletricidade. “O ônibus tem uma espécie de pilha que faz o motor funcionar. Nela, entram o hidrogênio e o oxigênio da atmosfera. Do processo, resultam energia elétrica e vapor d’água.”
Por enquanto, o Rio de Janeiro vai adaptar apenas em uma linha da cidade, mas a idéia é de que até 2014 já tenham mais linhas desse tipo de ônibus espalhadas pelo Brasil, para a copa do mundo.
Gostei de saber que tem pessoas pesquisando novas metodologias, para equilibrar o desenvolvimento urbano com a natureza, pois diariamente costumamos ouvir mais notícias ruins, como por exemplo: poluição causada por lixos, desmatamento da Floresta Amazônica, mudanças climáticas causada pelo efeito estufa, entre outras.
Afinal o desenvolvimento urbano é muito importante, assim como a natureza, fundamental a qualquer tipo de vida. Notícias assim mostram que cada vez mais pessoas estão parecendo mais entusiasmadas para termos um mundo melhor.
Outra característica que a reportagem traz, é sobre a copa do mundo. E por que será que se torna importante essa nova tecnologia em 2014? Acredito que seja para servir de exemplo para o mundo inteiro, que estará observando nossa cultura e possivelmente se influenciando para também adotar essa consciência ambiental e motivando mais países a mudar também, ou criar mais hábitos ecologicamente corretos.
Além, é claro, de essa tecnologia diminuir o índice poluente, dos milhares de turistas que estaremos recepcionando.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Brincando de Deus

Para quem nunca jogou "Comand Conquers", "Age of Empires", "Age of Mitologi" ou qualquer uma das variações, esses jogos tratam de uma batalha onde o jogador é desafiado a comandar um povo e dominar o campo espacial. Para isso é necessário uma série estratégias e comandos complexos que desencadeiam em efeitos colaterais para o futuro da nação.
Tomemos nossa mente como um pedaço de terra. Dentro há a influência externa e o que é nosso de origem. Agora imaginemos que o nosso povo é a nossa personalidade e que a mídia é o povo rival. Será que você ja parou para pensar as estratégias que ela toma para controlar, prever e usar você?
Hoje a sociedade afluênte está acostumada a viver em meio a tanta tecnologia e informação, mas isto nao quer dizer que ela sabe como usar e se defender de. Conforme o tempo passou o homem, na necessidade de se comunicar, foi criando meios para se interligar ao seu próximo, para entender e interagir com todos a sua volta. Nasce dai a necessidade de um sistema de comunicação, futuramente a mídia. Mas não criamos uma simples rede. O que foi criado é quase uma inteligência artificial auto-sustentável que usa da nossa falha de caráter para sobreviver. A mídia, esta, que até então nos controla e dita nossos passos sem que muitos de nós percebamos.
O que a mídia faz, basicamente, é a criação, seleção e distribuição de informação em meio a sociedade. O que para muitos, ingênuos, pode parecer inocente, mas que na real toma uma proporção e poder incríveis. O que da todo este tamanha força para a mídia é a jogada inteligente que ela faz, dando ao homem a necessidade de expandir, dinamizar e diversificar a informação para a sociedade, criando cada vez mais novas formas e ultrapassando barreiras (muitas vezes a privacidade), para ganhar seu salário e que, sem nem perceber, da vida a um simples conceito. O plano artigulado é tão engenhoso e estratégicos que atinge todas as camadas da sociedade. Desde a criança até o idoso ( que leva muito menos investimento e busca por parte da mídia exatamente por nao produzir e consumir mais).
Sem que percebamos, ao entrar numa cultura de alta produção e consumo (já esquematizada e implantada pela mídia a muito tempo) trabalhamos demais e, muitas vezes, não temos tempo para dar muita atenção aos nossos filhos. Porém a mídia não é só um, e não obedece espaços e privacidades. Enquanto estamos ausentes, ela invade nossos lares e toma posse das mentes de nossos filhos que, sem ao menos perceber, agem como fantoches dando controle a mídia sobre nós e tantos outros. Em casa a criança irá consumir o que lhe for mandado. Na rua irá influenciar outros a consumirem que, por sua vez, influenciaram outros e em um ciclo infinito ( ou limitado ao tamanho da população mundial) se cumprirá sem que nós tomamos conhecimento.
Mechendo com a cabeça das crianças fica fácil prever o futuro (ja que estes são o nosso futuro) e assim a mídia avança mais um passo na estratégia de nos dominar. Criando uma dependência física e psicológica em nós, faz com que nos enchamos de produtos e nos tornemos propagandas ambulantes, "outdoors" que falam e espalham sua informação nos mais diversos lugares, intranhando na sociedade sem deixar um minúsculo espaço sem seu conhecimento. Desfilamos para cima e para baixo com marcas, logos, símbolos e mensagens que não são nossas. Mas é assim que funciona.
Com o tempo, na minha opinião, a mídia foi criando formas e motivos para se espalhar, e um deles foi o consumismo que veio a calhar e fazer parte da nossa cultura. Hoje ele se tornou muito maior e poderoso que toda e qualquer organização social. Maior até que o Estado. O Estado (republicano) , constituído de três poderes ( Judiciário, Legislativo e Executivo ), perde poder todos os dias. Com a privatização de patrimônios e serviços públicos o regimento da sociedade fica na mão de poucos produtores, inutilizando o Estado e dando mais poder a empresas. Se você parar para olhar, você paga muitas coisas em dobro. A sociedade de hoje, que tem medo de ficar esposta e portanto prefere lugares fechados para a sua segurança, paga impostos para ser policiada mas paga também a entrada em lugares fechados (shoppings, parques, etc). O que fortalece a mídia, pois da aos seus motivos um tamanho maior e á ela uma importância inestimável.
Pra quem ja assistiu "Eu Robo" fácil entender a metáfora ao ver o computador Vicky. E se não temos mais nenhum refúgio livre para baixarmos nossa guarda, abrir a cabeça e aliviar a pressão, pobres aqueles que viverão o futuro. Deixarão de estarem vivendo e passarão a serem vividos. Isso se o mundo nao nos afogar em suas nêmesis.

Querida televisão!





Os pais estão deixando os filhos comandar numa casa, cedendo à maioria das vontades da criança. A publicidade esta direcionada para o consumo, trazendo essa criança a vir a ser precoce como se ela precisasse do tal brinquedo, produto ou vestimenta para ser aceita na sociedade como se fosse uma garantia de felicidade.







Os efeitos colaterais: É importante que a criança tenha o desejo de algo para ela. Para o presente ou futuro, mas a publicidade está levando, carregando este desejo para o consumismo extremo, não se ouve mais uma criança dizer que quer uma bola para jogar futebol pelo esporte, mas apenas pela posse por que a televisão ''diz'' que isto é legal. Eu particularmente acho que as crianças estão mais preocupadas com os “brinquedos eletrônicos" como o celular o computador, vídeo game e etc, do que com os balanços, castelos de terra, amarelinha e etc. Vejo as pracinhas que eu frequentava desertas ou ocupadas por indigentes.Estamos em uma era de tecnologia super valorizada em que as crianças brincam a maior parte do seu tempo com seus videogames e passam horas em frente ao computador, as brincadeiras antigas consequentemente caem no esquecimento.



A "aceitação" na sociedade:
a criança acredita que os outros vão gostar mais dela se ela tiver o que esta sendo desejado em tal faixa etária. Esta aceitação ilusória traria beleza, alegria e o faria se sentir melhor. Então as crianças estão querendo o produto para ser venerado, invejado pelos outros até conseguir amigos comprados indiretamente. A criança, portanto vai ser vista (SIM) pelas outras como a melhor, pois a mídia está dizendo isso.





Das famílias mais desafortunadas: as crianças que não tem condições vão ser inclusive excluídas e vistas como inferiores das que tem a "popularidade do novo”. Como se o passaporte para entrar num grupo de crianças fosse este posse. E a estética é muito valorizada até em crianças que nem desenvolveram os dentes! Com sempre o desejo de ser mais bonita que a outra, portanto ela PRECISA daquela roupa, estimulando a competição, e as crianças mais pobres que sofrem de preconceito por não ter o ''melhor''.


Da sociedade machista: crianças de pré-escola pedindo aos pais roupa que as deixam mais bonitas. O que então é "ser bonito"? É ser magra com curvas delineadas, mas... crianças?! Umas com o desejo de serem mais altas, outras usando maquiagem sem qualquer necessidade ou até o cabelo feito que nem tal artista bonita e desejada. Ser uma '' princesa'' é ser bonita e sempre vai conseguir o que quer, vai ter o príncipe encantado e ser como a Barbie! Igual a comprar coisas da Barbie.Porque será que a sociedade mais exige do outro a beleza? outro... ou outra? A mulher é o maior ícone de propagandas, e todas com todas as qualidades que a sociedade exige dentro do padrão. Então, meninas, futuras mulheres! Estão se prevenindo para serem desejadas há um tempo. A publicidade de cervejas por exemplo, mostram na maioria das vezes mulheres semi-nuas entre os comercias de horário livre, consequentemente alertando as crianças muito mais cedo sobre a sexualidade, perdendo sua inocência nata.


SENTA, QUE LA VEM HISTÓRIA..






--------------------------------------------------------------------------------








Todas as noites a maioria das famílias brasileiras param de fazer suas coisas para assistir à televisão. Normalmente essas pessoas chegam à noite, do trabalho, sentam no sofá para assistir a sua rotineira televisão. A família dentro de uma casa acaba nem dialogando, nem se conhecendo. Ficam lá, vidrados na frente daquela caixa de luz.


Elas, hoje em dia, estão muito ausentes na vida das crianças, para ser mais clara, os pais como conjunto estão mais ausentes do que nunca.
Das que estão sempre em função do trabalho para sustentar a casa em conseqüência os filhos. E acabam não dando ênfase aos desejos e a atenção que os filhos precisam. Indiretamente causando outros problemas no psicológico da criança, pois elas estão livres para interpretar todas as atitudes, logo tendo a televisão como "manual de instruções", pois os responsáveis, ocupados, não ensinam as devidas respostas para seus questionamentos ou discernimento do “certo e errado”.


Uma futura sociedade que nas minhas conclusões, talvez precipitadas, estaria perdida, perdida de valores, do moral e imoral. A moral pode ser entendida como o conjunto dos costumes, dos hábitos e tradições de um determinado grupo social. Essas tradições referem-se aquilo que é considerado um comportamento certo ou errado. Nesse sentido a pessoa que age de acordo com o que é tradicional, é considerada moralmente correta e, por outro lado, quem agir de maneira diferente, ou fora do tradicional, será considerado imoral. E o que é moral hoje em dia? Os tais conjuntos de costumes no agir de hoje seria o consumismo excessivo, valores monetários e estéticos!





Os jovens muitas vezes podem sofrer inclusive efeitos colaterais. Podendo sofrer depressões, dificuldades escolares muitas vezes não descobertas, problemas de relacionamento por timidez ou brigas. E nos casos mais graves direcionando-os até para as drogas.




A POSSÍVEL SOLUÇÃO:



As "famílias modernas" deveriam resgatar os valores das famílias "antigas", que cobravam mais do desempenho das crianças, estimulando a simplicidade que no futuro se tornariam pessoas mais humildes e com respeito ao próximo. Não digo que TODAS as famílias, estejam sendo assim, mas a maioria só tem provado o dito.




Ser pai e mãe também significa ensinar, se a modernidade esta fazendo os pais ensinarem apenas mesquinhagens e problemas, a forma é se conscientizar
no ser humano ético que seu filho vai ser se continuar neste ritmo e voltar a ensinar valores como nas famílias antigas, e serem "pais presentes e
atuais à moda antiga".

Crianças saudáveis, que fazem arte, batem perna pra poder ir num parque, andar de bicicleta,
sentir a brisa da natureza batendo no rosto e ser feliz, não por TER, mas pelo SER! E simplesmente sentir o amor.




Alguns exemplos de valores:

Morais: respeito, tolerância, justiça,honestidade;
Religiosos ou espirituais: fé,ir à igreja, ir ao templo,rezar;
Monetários ou financeiros: posses, propriedades, bens, segurança econômica, ter dinheiro;
Artistícos ou estéticos: beleza,harmonia, sincronicidade, organização;














Mas o que há de tão interessante nessa televisão?

Na verdade, muitas futilidades novíssimas a cada dia! Nada que acrescente na vida de ninguém, no cultivo da cultura, apenas programas inúteis, mostrando uma falsa realidade, que em suas “tão comentadas novelas” não passam de um remédio para confortar os problemas das pessoas. Um remédio que as faz calar, formulando seus pensamentos, espantando a realidade nada bonita pra bem longe, com seus “felizes para sempre”.



Nem parece que a televisão foi criada em 1930! Ela ainda é uma novidade para muitos, ficam fascinados com aquelas marionetes fazendo palhaçada, esbaldando beleza, e fazendo os demais de gás do riso. Pois a maioria dos conteúdos não há nada alem disso, palhaçada.



















Mídia, uma máfia que assombra a sociedade.

Os documentários retratam bem o modo que as grandes empresas manipulam as crianças através da mídia, fazendo propagandas enganosas e que impressionam as crianças que não tem ainda capacidade de entender qual produto realmente lhe faz bem.
Esse processo invariavelmente tem um sentido comum, as crianças estão comendo muito mau, comem salgadinhos e bolachas que não tem nem um nutriente e tem um índice de gordura e outros processos químicos muito grande e com o passar do tempo enquanto elas estão crescendo vão ficando com muitas doenças (muitas vezes doenças crônicas) e com isso vão acabar utilizando vários remédios ao longo da vida enriquecendo a indústria farmacêutica. E acabam criando idosos totalmente inválidos e que podem morrer rápido e com isso as grandes empresas conseguem deixar a população mais jovem e com poucos idosos, ou seja, mais mão-de-obra e consumismo. E a mídia, infelizmente, invés de repudiar isso acaba se aproveitando da concorrência por um espaço na mídia e acaba ganhando muito dinheiro em cima disso. E isso tudo está tirando a juventude e a inocência das crianças, no documentário “ Criança, a alma do negócio” aparece uma menina de 13 anos que já tem filho e falando como se isso fosse extremamente natural, ela acha isso natural pois ela vê propagandas na televisão como a da Claro que aparece no documentário que coloca meninas de 9 a 11 anos com roupas desapropriadas para a idade delas em uma conversa falando sobre seus “ namoradinhos”, imagina uma criança que não tem capacidade nenhuma de discernir o que é certo e errado vendo isso? Ela vai pensar que isso é normal e como isso apareceu na televisão ela vai querer fazer a mesma coisa.
Hoje, como toda a sociedade é excentricamente consumista todos se acabam deixando levar pelas propagandas, os pais que são a inspiração das crianças e até mesmo dos jovens, estão levados pelo consumo e como seus filhos acabam se espelhando nisso se cria um círculo vicioso na sociedade. Os jovens não querem mais ir aos parques, ir brincar, conhecer outras pessoas, só querem ficar na Internet ou ir aos shoppings, ou seja, até mesmo o lugar que elas vão é cercado pelo consumo invés de ter uma vida mais saudável e social, e quem consegue nos impor isso é a mídia, com suas várias formas para controlar a sociedade, e principalmente com a publicidade que leva mesmo indiretamente faz com que a gente faça a propaganda para eles, pois todo mundo que compra algo novo sempre começa a falar sobre esse produto como se fosse a melhor coisa do mundo, e acaba influenciando os outros a comprarem e enxerem o bolso de dinheiros das grandes empresas. E o pior de tudo é que a mídia brinca com a nossa inteligência e nós estamos perdendo esse jogo, um exemplo, eu aqui escrevendo esse texto, depois de terminá-lo vou ficar na internet e depois provavelmente vou ir ao shopping, ou seja, estou sendo hipócrita e burro, principalmente burro, pois eu tendo a capacidade julgar várias coisas já, vou consumir produtos que não fazem bem para mim, mesmo sabendo disso, vou me refugiar num shopping. E isso infelizmente não ocorre só comigo, TODA sociedade é assim .
Com os dois documentários nós podermos ver como a gente é controlado pela mídia, e como ela joga muito sujo com a sociedade, formulando as cabeças das nossas crianças, fazendo elas consumirem coisas que não querem e tirando a juventude das crianças.
Ghabriel Petruzzellis.
Professor! Eu, Roberto, não recebi o convite do blog, por isso fiz pelo do lucas/ Vivemos em um mundo completamente materialista e globalizado, somos altamente influenciados pela midia e pelo sistema, porém nada se comapra a lavagem cerebral que é feita com as crianças.
A Propaganda está presente diariamente no cotidiano das crianças que são facilmente manipuladas, por que ainda não sabem dissernir o certo do errado ou bem do mal. O capitalismo atraves principalmente das propagandas televisivas faz as crianças pensarem somente no consumo, na compra, em estar na moda e com isso serem aceitos na sociedade.
Nos anos 60, 70 as crianças não eram submetidas a tal lavagem cerebral, nãoo tinham televisão e crianvam seus próprios brinquedos e brincadeiras e seus pais eram muito mais rigidos e não trabalhavam tanto, portanto se preocupavam mais com sua educação, mas com a evolução monstruosa do capitalismo os pais tiveram que trabalhar mais e com isso deixar a educação dos seus filhos na mão de terceiros, que muitas vezes abaca sendo a televisão e os desenhos animados.
Hoje em dia se tornaram muito mais importantes os bens materias, a imagem perante a sociedade do que o modo de viver de viver, a cultura. Hoje em dia para o trabalho e nossos momentos de lazer sempre estão relacionados ao consumo. Estamos perdidos pois pensamos só em sermos humanos e não em sermos seres humanos e desempenharmos nosso papel na sociedade.
Professor! o matheus não conseguiu entrar no blog, por isso escreveu pelo meu/ Hoje em dia nos encontramos num mundo completamente consumista, materialita, influencialvel e globalizado. Isso ocorre por causa da midia que influencia crianças ou jovens, que precionam seus pais a comprarem tais coisas, e esses responsaveis meio ausêntes na vida dos seus filhos, presenteiam eles para preencher esse vazio nas vidas destas crianças e com isso a mídia com o consumismo vão entrando em suas casas sem seus responsaveis perceberem. Vai ocorrendo uma lavagem cerebral que seria a televisão, e nela que as crianças passam a maior parte do tempo assistindo a canais banais, como: propagandas e desenhos animados.
Na antiguidade, era dificil de se ter uma televisão em casa, porque era muito cara, então crianças e jovens se voltavam mais para o lado das brincadeiras nas ruas ou para o estudo, não envolvendo o consumo. Nos dias de hoje a grande diversão da criança é assistir tevelevsão e assim criar nesse desejo de compra muitas coisas, como: brinquedos, roupas, sapatos, cameras fotográficas, computadores, video games, celulares e até na alimentação destas crianças a mídia interfere. E com essa mídia influenciando, as crianças vão perdendo a infância com essa sobrecarga de informação e com isso ficando mais maturas , ainda mais com a tv insentivando ao consumismo e a precocidade.

O poder da mídia


O que está acontecendo hoje em dia é uma coisa muito grave. Crianças estão sendo influenciadas pela mídia da televisão brasileira a consumir.

É comum assistirmos na televisão propagandas de brinquedos, alimentos, telefones, roupas, que são feitas por crianças. Isso acontece porque crianças, por não terem maturidade o suficiente para discernir as coisas, acabam querendo comprar tudo que é mostrado de interessante para eles.

Antigamente as crianças tinham mais imaginação e criatividade na hora de brincar. O consumo era praticamente inexistente, pois elas não tinham nem metade da informação que nos fornecem hoje.

Dificilmente uma criança assistia a um programa de televisão até porque as condições de vida não eram tão favorecidas. O que ocorre hoje em dia é que os pais às vezes por não poderem passar muito tempo com os filhos por terem que trabalhar, acabam cedendo ao apelo emocional da criança e comprando o produto desejado por ele, que se torna extremamente consumista e acaba amadurecendo mais devagar, pois cria um mundo irreal, de fantasia.

Crianças e adolescentes querem estar na moda hoje talvez para serem aceitos nessa sociedade que temos hoje, extremamente consumista. É preocupante ver a situação do nosso mundo hoje, no documentário “Criança a alma do negócio” me chocou uns meninos de oito ou nove anos não saberem alguns nomes de animais, mas conhecerem todas as marcas de celulares que lhes mostraram.

Se a intenção da mídia é fazer com que fiquemos mais burros e menos interessados em coisas que realmente são importantes, podemos dizer que ela está fazendo o seu trabalho muito bem. Isso é o que vai acabar acontecendo daqui a um tempo, saberemos tudo o que consumir o que comprar e acabaremos vivendo em uma sociedade de pessoas ignorantes que só pensam no material. A televisão é muito “esperta”, nos mostra propagandas direcionadas para o público jovem, pois pessoas mais velhas com sua cultura e seus costumes já formados,nem sempre deixam-se influenciar pelas propagandas.

Essa liberdade que as crianças têm, deve acabar!Tem que ser controlada pelos pais que na verdade são responsáveis por tudo isso estar acontecendo.



“Pais preocupem-se mais com a educação dos seus filhos e menos em presenteá-los”.

Mídia

Hoje em dia é muito comum vermos em lojas e ou supermercados mães com filhos pequenos que ainda não tem uma visão de como o mundo é "mau" em relação a elas.Nesta situação de filhos acompanhados pelos pais é comum ver a criança pedindo um brinquedo à mãe e quando lhe vem a resposta, que na maioria das vezes é um não, começam a chorar, gritar, fazer todo tipo de escândalos, e pior que isso são os pais que fazem o que os filhos querem formando então um cidadão que mais tarde vai ter vários problemas na sociedade.
Mas o que levaria crianças entre 5 e 12 anos à fazerem isso ? se elas com esta idade ainda são puras e que não eram para ter ligação nenhuma ao consumo.A culpa disso tudo está na mídia covarde que existe no Brasil e que infelizmente toma conta da cabeça das crianças ingênuas que mal sabem o que querem ser quando forem adultos formados, mas já sabem qual o brinquedo se deve ter, a marca de roupa que se tem que comprar ou tênis que chama mais amiguinhos.
Isso ocorre também em propagandas de "alimentos" altamente calóricos que também são impostos pelas propagandas diretamente às crianças, mostrando que aqueles produtos são melhores que qualquer outras frutas ou verduras que são até dez vezes mais baratas que um pacote de salgadinho e chegam a ter cinquenta vezes mais nutrientes que qualquer um destes produtos.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

A Padronização do Consumidor Infantil

A sociedade que nos encontramos hoje é totalmente materialista, influenciável, padronizada e globalizada. Isso existe porque a mídia se da ao trabalho de influenciar a cabeça de pessoas mais fracas, ou seja as crianças.

A publicidade revela que o principal objetivo é fazer o publico consumir, e meio mais fácil dessa “lavagem cerebral” seria a televisão, é nela que as crianças passam horas e horas assistindo a canais banais, tais como: propagandas e desenhos animados.

Antigamente a infânc
ia de uma criança baseava-se na imaginação que ela tinha para inventar suas brincadeiras ou apenas se divertir com isso, não envolvendo o consumo. Já hoje a grande diversão de uma criança é assistir a televisão e dali criar um novo desejo de compra. Seja de brinquedos, de roupas, de sapatos, de aparelhos eletrônicos (celulares, ipod, câmeras fotográficas, computadores, videogames), maquiagens, até na alimentação de uma criança a mídia influencia. O desejo que elas tem de estar na moda, de ter mais brinquedos, de comprar, de ser aceita na sociedade, torna esssas crianças cada vez mais ignorantes e competitivas. Não que a culpa seja delas, mas, a mentalidade de uma criança não consegue distinguir o certo e o errado, e não percebe que esse materialismo todo prejudica a sociedade a elas mesmo.

É nessa hora que os pais
como responsáveis deviam interferir e de alguma forma, tentar mudar o pensamento voltado a esse consumo interminável. Pois como adultos deveriam saber o que é melhor para seus filhos, mas o que acaba acontecendo é que os pais na maioria das vezes acabam rendendo-se a esse consumismo, e a conseqüência disso é atender a todos os pedidos dos filhos, mesmo sabendo que estão errados.

As crianças começam a assimilar apenas aquilo que lhes favorece, que acha bonito, o que é mostrado na televisão e não tem o hábito de aprender coisas novas, coisas realmente importantes. O tempo passa e se alguém não tomar uma atitude essas crianças no futuro não se darão conta do mal que fazem consumindo qualquer coisa que vem pela frente, e ao crescerem continuarão com os mesmos hábitos. Até que ponto esse consumismo pode chegar? Até onde a mídia pode ser influenciável para uma criança? Se ninguém der um basta, as crianças, e não apenas elas farão do consumo suas vidas.

Hoje parques, ambientes em ar livre, estão fora de cogitação. Elas só querem saber de ir a shoppings, lojas, cinemas e novamente pensam em comprar aquilo que viram na televisão, ou aquilo que seus, suas amig
os(as) já compraram e no momento ele(a) não tem.
Os jovens tem que estar mais críticos e assistir com mais seriedade a uma propaganda, quanto mais cultura mais sabedoria para suas escolhas.

“Saia da frente da televisão e vá ler um livro”